Arquivo da tag: tabela de conversão

Compras nos EUA

É impressionante, as vezes o que eu mais quero é voltar a escrever no blog e continuar ajudando a todos a entender o bom senso na moda. Caso não saiba este é o objetivo do blog: Criar um bom senso de moda entre os leitores.
Tudo bem que o blog começou em 2008 e durante uns 6/7 meses ele bombou, depois com a falta de periodicidade ele ficou a mercê de spam e afins, mas se tudo der certo, vou criar uma rotina de posts semanais para esse blog aqui, o esthilo e o refugio familiar (para quem não sabe, eu vou ser pai do Lucca. É, minha namorada/esposa está grávida de 7 meses e logo logo vamos nos mudar). Lindo não?

Agora falando sobre o que trouxe você aqui “Compras nos EUA” é sinônimo de babado, confusão e gritaria. Será? Calma minha gente e nem adianta fazer encomenda porque dessa vez quem vai passear na terra do Tio Sam é outro Sganzerla, o Clovis, ou se preferir, meu pai e avô do Lucca. O post é oportuno e serão apenas serão dicas de fazer aquele pedido especial sem que haja uma verdade desilusão na hora de abrir o pacote e descobrir que o seu número de tênis era 8 e não 10 como havia pensado. É leitores, a primeira dica essencial é ter uma tabela de conversão em mãos antes de sair fazendo “a locka” pedindo aquela polo da Tommy azul marinho < Peça essencial de qualquer closet que se preze. Então, vamos a elas:

1. Tabela de conversão:


Não preciso dizer que essa é uma tabela de conversão básica para você começar a fazer seus pedidos, mas você deve estar se perguntado uma série de coisas “Meu número não está ai? Como eu sei meu número de calça? Camisetas e Jaquetas, cadê?” e outras coisas. As calças tem medidas esquisitas como vocês viram, o melhor mesmo é medir cintura (waist) e o comprimento (inseam) por uma calça que ama, idolatra e cai como uma luva em seu corpo. Nunca será 100% de certeza que dará certo, mas é um pouco mais garantido. Ah! 1 inche = 2.54 centímetro. Aí se fez uma terceira série forte você consegue fazer os cálculos, não é mesmo?
Depois da tabela em mãos é hora de selecionar o que quer lá da gringa.

2. Marcas

Antes de qualquer comentário já está na hora de esquecer que nos EUA só tem moletom da Gap, camisetas da Abercrombie & Fitch e os feiosos Nike Shox. Além de terem aqui a venda por preços abusivos, todos tem, alguns até fazem coleção. Pensem em coisas diferentes, até das mesmas marcas, só não vai pensando que irá encontrar aquela peça essencial a preços muito mais baixos, infelizmente (ou felizmente) as marcas-desejo que por aqui já habitam estão mais globais e por isso os preços cada vez mais parecidos. Não posso esquecer que os preços são bem menores, mas será que vale a pena? Aí cabe a cada um avaliar, o dinheiro é seu mesmo.
Procure na internet algumas marcas que são do seu agrado e por aqui ainda não tem, geralmente são as peças mais bacanas e com preços ainda melhores que de marcas conhecidas no Brasil. Eu por exemplo estou amando Fred Perry, Ted Baker e algumas outras. Para quem quer um peças básicas e com preços ótimos (camisetas a menos de $10) é bom passar na Urban OutFitters, tem em todos os Estados Unidos e além de roupas tem muitas coisas bacanas para  decoração.

  Esse relógio é um ótimo exemplo (claro que já encomendei) custa apenas $ 20,00 e sim.

É inspirado no famoso quadro de Dali e o melhor, funciona e é decorativo. Ponto para U.O.

Já esse telefone é lindo, tem aparência retrô, mas seu funcionamento é moderno.
Vai direto para a parede do Refúgio quando o mesmo estiver pronto.

3. Essenciais

Nem tudo que reluz é ouro. Nem tudo que é de fora é melhor. Quantas coisas boas temos aqui no Brasil que são melhores que as coisas lá de fora? Pense sempre nisso e principalmente, realize seus desejos de coisas básicas que sempre teve vontade de comprar, mas por aqui é caríssimo. Nessa hora vale mesmo investir nas marcas que por aqui são conhecidas e caras (válidos para moletons, camisetas e polos das marcas conhecidas, mesmo que te chamem de mauricinho, patricinha ou coisas afins. Até porque preço de fast-fashion a marcas de “boutique” é só lá fora mesmo. #vivaosimpostos), mas que por lá os preços são bem menores. Fiz uma seleção de coisas que já encomendei ao meu pai e de coisas que todo mundo tem que aproveitar. Peças básicas, duradouras e que pelo corte e material nunca sairão de moda.

É claro que são apenas sugestões do que eu compraria, roupa básica sem muito modismos para durar. Clássico, eu finalizaria.

4. Outlets

Preços altos? Um pouco mesmo com o dólar a R$ 1.59 não é tão mais barato como antigamente, mas o que importa mesmo é a qualidade do produto, muito superior aos encontrados aqui pelo mesmo preço. As saidas são os outlets, geralmente se encontram preços bem menores que os praticados nas lojas. Uma pessoa me contou que tem moletom da Gap por $ 29.9 nos outlets enquanto nas lojas está em torno de $50.0 – É torcer para que seu amigo/parente/vizinho vá a esses locais e lembre-se de trazer uma lembrancinha para você.

5. Noção

Não ria não, é preciso ter noção que acima de $ 500.00 paga-se impostos e mais ainda, caso não é você quem vai viajar não faça milhões de pedidos. A pessoa está indo viajar a diversão, para tirar um tempo para ela, não para fazer compras para os outros. O resto você já sabe, agora é só acessar os sites e fazer aquela listinha, mas tenha cautela e selecione no máximo 4 produtos, assim a probabilidade do produto encomendado ser o mesmo a ser entregue, é grande.

4 Comentários

Arquivado em Sugestões